Vinhas Velhas, um Tannat simbólico.

Tannat se tornou a uva nacional do Uruguay. Apesar da ascendencia francesa, na França quase nao existe. Meu querido avô materno, Simon Riz, revendia vinhos dos italianos, produzidos com sua marca, para distribuir em Montevideo. Os garrafões chamados de Damajuanas, eram cobertos por cestos de palha. Esse vinho ele chamava de Berreta, por causa de sua borra. Era o Tannat. Aprendi a gostar e entender seu paladar, e quando encontro um Tannat bem elaborado como esse, fico feliz. O Brasil com altitude e diferentes solos, permite uma boa adaptação dessa uva.

No serviço me surpreendi com a cor e intensidade. Pode parecer pesado, mas no final tem muita fruta, amoras, acerolas, pitangas e ervas comum nos vinhos da Campanha.

Sem couro!!!

Este vinho único é elaborado com a uva Tannat proveniente do vinhedo fino mais antigo do Brasil conduzido em espaldeira, localizado no município de Santana do Livramento/RS. O processo de vinificação integral em barrica nova de carvalho francês potencializa as virtudes da casta, perfeitamente adaptada ao terroir da Campanha Gaúcha. Sua “artesanal” elaboração e ausência de tratamento de estabilização tartárica e filtração, proporcionam uma invulgar pujança e robustez.
 

Ficha Técnica

VINHA
Região: Campanha Gaúcha/RS
Solo: Arenoso de topografia plana
Clima: Quente e subúmido
Variedade(s): Tannat
Ano de plantio do vinhedo: 1976
Produtividade: 1 kg/planta [3 ton/ha]
Sustentabilidade: Tratamento térmico do vinhedo utilizando TPC (Thermal Pest Control)
Colheita: Manual e seletiva

VINIFICAÇÃO
– Seleção dos cachos em mesa selecionadora;
– Desengace total dos cachos, sem esmagamento;
– Aumento da relação sólidio/líquido;
– Maceração pré-fermentativa a frio por 1 semana;
– Enchimento das barricas novas de carvalho francês por gravidade;
– Fermentação alcoólica a 25°C, por cerca de 20 dias, dentro das barricas e com as cascas;
– Maceração pós-fermentativa prolongada (cuvaison de 40 dias, em média);
– Fermentação malolática espontânea, na madeira e nas cascas;
– Prensagem em prensa tipo torchio, onde a totalidade do vinho prensa foi adicionada ao vinho flor;
– Amadurecimento nas barricas novas de carvalho francês por 12 meses;
– Sem colagem e com filtração grossa.

ANÁLISE SENSORIAL
Visão: Límpido e brilhante, de intensa coloração vermelho profundo, com forte reflexos violáceos e densas lágrimas.
Olfato: Aromas densos e fechados, vão do chocolate ao tostado, perfeitamente integrado com aromas de frutas vermelhas maduras que lembram geleias.
Gosto: Corpo intenso e potente, de taninos maduros e envolventes e larguíssima persistência gustativa. 

SERVIÇO E HARMONIZAÇÃO
Serviço: A temperatura ideal é de 16 a 18°C.
Harmonização: Por se tratar de um vinho único e cuidadosamente elaborado, permite-se acompanhá-lo pratos requintados a base de carne de gado, de cordeiro, de carneiro ou carnes de caça, por exemplo, churrasco gaúcho, rabada, ossobuco, barreado, buchada de bode e também pode ser ótima escolha queijos maduros de massa dura, como parmesão, pecorino e grana padano.
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.