Com que tinto comer o Spagueti al Vongole?

Vongole é um marisco pequeno, dificil de encontrar, mesmo em mercados como o Mercado do Produtor na Barra. A nossa amiga Zélia, do Zeliamar,  só compra se o produto for bom e fazia um tempo, desde que o Giancarlo saiu da Barra, que nao comia um Spagueti  al Vongole.
No caso do Vongole, pode ser que voce encontre como o marisco sem casca, mas surpreenda-se: no Vongole o gosto esta na casca que deve ser chupada ou sugada. Refogue os bichinhos, 1/2 kg numa frigideira, azeite de oliva e sal. O Vongole cresce preso nas pedras, como as ostras. Como a casca não se mexe, a carne deles é gordinha e a casca se abre com um leve cozimento. Junte uns 100 ml de vinho tinto seco, muito alho refogado picado e salsinha,  umas gotas de worchestershire ou molho ingles, pimenta do reino.
Depois de cozinhar a massa com sal e um pouco de azeite na água, no tempo indicado na embalagem, escorra e acrescente a massa ao Vongole. Sirva e com queijo parmesão ralado.

O vinho para acompanhar essa maravilha, um Carmenére Reserva da Misión, no Zona Sul por 22 reais.

Salmão com Risoto de Shimeji

Corte o filé de salmão em bifes. Refogue umas 100 gramas de shimeji, tempere a gosto e separe quando estiver dourado. Doure alho picado em azeite e depois acrescente e refogue o arroz. Coloque os cogumelos na panela com o arroz e adicione agua fervendo, se usar o arroz arborio, acrescente 4 xicaras de agua para cada uma de arroz, se for o arroz comum metade. Deixe reduzir. Soja e molho worcestershire. Eu gosto de um pouco de açafrão da terra ou Curcuma, noz moscada, pimenta com cominho. Meia colher de sopa de manteiga. Pique salsinha. Rale queijo parmesao.

O Salmão tempere com sal e pimenta do reino. Com um fio de azeite numa frigideira tefal, coloque o salmao com a pele para baixo. Tampe e deixe dourar. Coloque o risoto no centro do prato, espalhe o queijo, e o peixe com a salsa como mostra a foto.

Linguiça de Cordeiro no pão do Candy

Para comer bem, é preciso ter acesso a bons produtos e saber comprar sem desperdicios e pagar preços exorbitantes. Pode se beber bem, excelentes vinhos, sem precisar gastar os olhos da cara, ou sequer ter uma adega climatizada e coleções de garrafas. Alias, é um verdadeiro crime contra o vinho, substancia que deveria poder ser bebida por todos, desde que maiores de idade, em quantidades e qualidade controlada, devido a suas caracteristicas beneficas para a saude mental e fisica. Para ter acesso a bons vinhos hoje, basta escolher bons fornecedores. A pesquisa de preço é muito importante, mas conhecer ajuda muito na hora de encontrar bons vinhos com preço justo. Se você pretende ficar no convencional e optar pelos cabernet, tudo bem. Mas saiba que existem coisas diferentes, como Carmenére, Aragones, Syrah, Malbec, Tannat, Bonarda, Pinot Noir, para citar apenas alguns tintos. E o ideal é comprar de acordo com a época do ano que vai consumir e as refeições que pretende preparar. Para cada prato ou sobremesa, um vinho diferente, uma experiencia diferente.
Cozinhe as linguiças de cordeiro no vapor até amolecer, e depois doure na chapa. Abra a baguete ao meio, tire o miolo e coloque as linguiças dentro, um pouco de mostarda escura. Sirva com salada fresca. O vinho recomendado, na foto, do Vale Central do Chile, é da Haut Vol Wines, Carmenére Reserva 2006. São aromas de frutas e uma acidez incrivelmente agradável, sem perder os taninos macios e intensos, mas tem que aerar, para poder sentir melhor o conjunto. Menos de 20 reais, no Candy do Mercado do Produtor, na Barra da Tijuca.

Ossobuco com molho de tomate e arroz branco

O grande problema do ossobuco: encontrar cortes com osso no Rio de Janeiro. E como o ossobuco não é um corte muito usado por aqui, fica sempre para quando a gente encontrar na prateleira congelado o que sai caro, mas no açougue custa realmente barato!
Encontrado o ossobuco, para o preparo requer tomates frescos, cenoura, pimentão vermelho e salsinha. Lave o ossobuco numa vasilha com agua corrente morna e sal grosso. Uns 15 minutos e o sal ajuda a tirar o sangue e a gordura fica mole. Esta na hora de refogar o ossobuco. Quanto mais grosso o corte, mais demora a ficar pronto. São tres cozimentos para ficar no ponto: refogado, com alho, sal e pimenta, louro, depois acrescentamos agua ou caldo de legumes, cenoura, tomate e passata de tomate. Vai cozinhar até amolecer a carne, leve ao forno 280 graus por 30 minutos. Como essa carne tem colágeno e gordura, o molho fica espesso, para comer com arroz ou macarrão ou pão.

Fetuccini al Sugo

Fica pronto em 5 minutos ou o tempo que a massa pedir…cozinhe a massa com sal e pimenta, para o molho use passata fina, alho, eu gosto de usar uma pitada de molho de pimenta vermelha que contém vinagre, ou pimenta calabresa e depois adiciono vinagre ao alho refogado com a pimenta e deixo flambar, depois colocar a passata, aguae , meia cenoura, manjericão. Tire a cenoura e sirva.
O segredo e toque final, queijo parmesão uruguaio ralado.

Frango a Mineira com Lentilhas Garni e Arroz a Grega

Virtual Palato não é apenas um blog de culinária exotica. Aventura, ecologia, vinicultura e fotografia, além de uma boa dose de inovação tecnologica: Eye-Fi para transmitir direto da camera, se tiver rede local ou 3G da Tim, estamos postando. Mas nesta viagem no feriado para a fazenda na Capivara, Itamonte, zona rural, toda nossa tecnologia não serviu para nada.

Depois de 300 km de estrada até Itamonte, duas horas para sair do Rio pela Dutra, acabou ficando tarde para pegar a estrade de terra até a Fragaria. Seguindo uma dica do pessoal do posto de gasolina, dormimos na Pousada do Bululú, a margem da rodovia MG 346, uns 3 km antes da cidade.

A curiosidade era saber o que significa o nome da pousada, o cheiro de coco de cavalo dava para perceber de onde vinha, pois o local foi um curral transformado em suites, mas o pasto dos cavalos continua ali. Quem quiser saber o que quer dizer Bululú, vale a pena ir até lá e perguntar para o Adriano, dono do lugar. Seguimos viagem no dia seguinte, uma estrada de 40 km até a sede da fazenda. Compramos uns queijos meia cura e umas linguiças, doce de leite, goiabada cascão, para dar  um toque local para nosso cardápio.

Meio kilo de frango, dois dentes de alho, 250 gr de lentilhas, linguicinha defumada e uma linguiça fresca. Um pacote de Arroz  a la Grega Tio João. Um pouco de rúcula ou agrião.
Sal a gosto. Azeite de oliva. Passata de tomate fresco. Tempere a gosto.
Preparo: comece com as lentilhas que demora mais para ficar pronto. Deixe as lentilhas de molho em água com sal por meia hora. Refogue alho e fatias de linguiça defumada, com um fio de azeite. Adicione as lentilhas. Cozinhe na pressão por uma hora, deixe ferver depois por mais uma hora, até reduzir.
O arroz siga as instruções na embalagem, mas acrescente mais azeite de oliva. Lave bem o frango. Uma das coisas que a maioria ignora, se o frango for bem lavado com sal grosso e limão, ele perde o gosto típico, fica macio e o risco de salmonela, menor. Escorra bem toda agua do frango, refogue alho, azeite e uns pedaços de nossa linguiça mineira e deixamos dourar tudo, colocamos o frango, até dourar. Adicionar a passata, agua ate cobrir tudo e deixe cozinhar. 

Os israelenses aqui, com Paella.

Paella Pascoalina com vinho israelense, culinária e cultura!

Estamos comemorando o descobrimento do Brasil dia 22. Todos sabem que foi Cabral, um empreendedor o descobridor oficial, mas muitos não sabem quem foi Gaspar da Gama, o cara que trouxe Cabral ate o Brasil. Ao avistarem a terra pensaram ser uma ilha, e a chamaram de ilha de Pascoa.

Não era uma ilha, e sim uma baía em Porto Seguro. Ao se aproximarem perceberam que o lugar era habitado por índios pelados. Inicialmente estes não foram muito amigáveis.
Gaspar da Gama o navegador que indicou a rota para Cabral era escravo de Vasco da Gama. Era comum judeus e outras minorias serem escravos de grandes senhores, verdadeiros servos fieis. Era o caso de Gaspar, seu compromisso era levar as naves de volta para o reino, com o maior numero de riquezas possíveis: ouro, prata, metais, pedras preciosas, madeiras, fibras, animais, e escravos. Os índios nervosos cercaram as caravelas com suas canoas e ameaçavam com flechas e lanças os portugas amedrontados pela quantidade de índios, e ao mesmo tempo fascinados pela beleza do lugar. Gaspar se dirigiu ao líder dos índios Pataxos em aramaico e disse Salam Aleikum, e fez uma reverencia tocando a testa e o peito com a mão…os indios ainda nervosos tocaram com a ponta de suas lanças de pedra a roupa dos portugueses, os observavam, cheiravam desconfiados e intrigados com aqueles brancos fedorentos, na época era chique ser fedorento. Ao ser tocado por um indio, Gaspar disse: kus ima shelcha!! O índio entendeu Ima, sim ai começaram a conversar e aceitaram os presentes, espelhos, contas, facas, tesouras, pratos, copos, garfos, roupas, sapatos, e por ai começa o Brasil, pelo comercio.
Pelo fato da paella ser o prato predileto de Gaspar, nao se trata de um prato kasher, por causa dos lagostins e mexilhões. A ideia e divulgar os vinhos de Israel, nao pela certificação religiosa e sim pela tradição vinifera do pais e da regiao. Ideia do amigo Jose Grimberg da Bergut, e praticada tambem pela Vinhos de Israel, Candy, e outros que conhecem o potencial do terroir israeli. Uma combinação perfeita para o sincretismo brasileiro. Frutos do mar, vinho branco gelado. Nossa dica:
Y A R D E N M O U N T H E R M O N W H I T E
Corte: Chardonnay e Sauvignon Blanc 
e pouco Semillon.
Origem da uva: Norte do Golan.
Processo: Fermentado a frio em stainless steel 
preserve fruit carater
Notas: Balanced combination of tropical fruits,
melon and citrus notes with light herb notes; mediumbodied with a fresh finish.
Sugestao para servir, do produtor: With a wide variety of foods,
everything from Ceasar salad to garlicky gazpacho or
a rich cheese fondue.
Servie na  Temperatura: 10°C
Receita da Paella, e so clicar aqui, eu usei uma base do que vi num programa de TV e do Receitas. com!

Atum com ovo e salada

Uma boa dica para o calor. Leve e barato. Uma lata de atum solido, dois ovos e a salada.

Separe a gema da clara. Coloque a gema, o amarelo do ovo, num pote, adicione sal, limão, e azeite, aos poucos com um garfo vai batendo tudo ate ficar como aquela maionese pronta. Pode usar maionese comum, e dar um toque de limão. Abra a lata e coloque no prato, cubra com a clara do ovo cozida no micro ondas, simples e rápido, bata as claras em, com sal e uma pitada de vinagre de arroz, para ficar suflada…salada e o mojo de maionese por cima!