Queijo caseiro e vinho israeli, combinação perfeita para as festas.

Queijo caseiro e vinho israeli, combinação perfeita para as festas.

Uma das maiores deficiencias no mercado de vinho brasileiro, ausência de rótulos de países como Israel.  Minerais e intensos, como os israelenses, frutados e muitas vezes doces em sua aspereza, os vinhos de Israel são produzidos em condições ideais de solo e clima.  Maturados pelo sol do deserto e as brisas frescas da noite. Um Tempranillo com 15.2 GL é capaz de perdoar todas as falhas que possam existir nesse vinho inigualável. Aromatico e macio com notas de cafe, mel, e pimenta, alecrim e romãs.

cabra contra gado
a esquerda o de cabra e a direita de vaca

O queijo caseiro, do tipo meia cura.

Fazer seu proprio queijo pode ser uma solucao para que gosta de queijo e nao tolera bem a lactose.  Na maneira que voce cura o queijo, ele perde agua, e boa parte do soro, a proteína do leite. Se voce é mais do tipo preguiçoso e nao esta com vontade de virar o queijo, compre os minas, frescal, pode ser de cabra ou gado, e coloque na salmoura. Eu prefiro sal grosso, e deixo por algumas horas, depende do queijo. Depois coloco num pano bem fino e pressiono para sair o soro. Deixe numa tábua de madeira ou peneira de palha, por alguns dias, a uma temperatura ambiente, o mais frio possível.  Se quiser fazer queijos de coalhada pronta, também fica muito bom, siga o mesmo processo depois de misturar umas 8 coalhadas e deixar no pano ate virar uma bola, e depois coloca na salmoura por umas 2 horas.  Varias possibilidades para se fazer queijos saudáveis!!

Interessante sobre o Festival de Shavuot, a tradição original remonta as primícias na épocas do reino de Judah, de onde vinham as melhores uvas. O costume de se comer leite e derivados, parece ser mais uma influencia do kibutz e da Tnuva, a cooperativa estatal.

Novo mundo, vinho velho. Tannat e Syrah, um corte uruguaio que pode durar.

Os uruguaios são desbravadores do novo mundo, no que diz respeito ao Tannat. Essa uva com características bem proprias, tem sido plantada  no Brasil também e ja esta produzindo vinhos incríveis. E esses vinhos estao bobeando em Teresópolis, por conta do clima ameno, e questões de mercado turismo, etc, que permitem voce encontrar essas pérolas como o Don Adelio Ariano, Reserve Oak 2010.

Se a degustacao de vinhos de guarda, mais caros, e voce nao dispensa um vinho,  ja esta começando a se acostumar a escolher entre tantas ofertas existentes nas prateleiras e perceber que tem  muitas coisas que dariam para ter azia pelo resto da vida. E nao se trata de preço, e sim qualidade.

E então esta na hora de começar a provar os cortes diferentes como esse curioso Tannat-Syrah. Mas nosso foco esta alem da alegria com o resultado dos cortes, ou como degustar um vinho de 2010 Reserva, deixado maturar em barris de carvalho franceses ou americanos, e sim na combinação das uvas.

Adoro degustar vinhos antigos, bem guardados, que nao sejam feitos para guarda, e acho o conceito de que cortes de uvas em geral nao se prestam a guarda por mais de 10 anos, um folclore ou boato que sempre esteve na moda. Syrah ou Shiraz,  ja fala atraves de seu nome, suas origens, o Tannat muito parecido na aparência, tem origem na Franca e ambos podemos dissertar horas, sobre seu potencial mineral, cachos alongados, e uma cor azulada.

Mas o importante que o vinho se demonstrou maduro e muito interessante e bem alcoólico, mas nao sofreu alteração em sua estrutura. No barril agrega cor e sabor, carameliza os açúcares e absorve o excesso de taninos e nesse caso ficou muito bom, nao teve necessidade de aeração foi abrir e deixar uns minutos e servir. O resultado desse processo, um vinho que lembra um pouco o velho mundo.

Syrah Tannat 2010

Saude!!

Boston Winery on the Harbor

Degustando os melhores vinhos de Boston, com Ralph Bruno, na Boston Winery. um dos melhores lugares pra se conhecer em Boston ,se você gosta de gastronomia enologia.

Galeto ao primo canto, com arroz de brócolis e feijão manteiga.

Na nova fase do Virtual Palato receitas e novas formas de cozinhar com melhores praticas de saude, sem muito sal, e muito tempero. Assista o vídeo a receita você consegue fazer assistindo. Prepare a cozinha o vinhos e os ingredientes para dois: um galeto, um maço de brócolis, uma medida de arroz, feijão manteiga, cebola, alho, salsinha ,cebolinha, pimenta dedo de moça e um abacate maduro.

Frango caipira com toque de Syrah israelense.

O frango caipira é um achado que o Carrefour sempre oferece, a preferencia por esse tipo de frango na região da Barra e Zona Oeste, se deve a cultura nordestina local, que habita e compra nessa grande rede. Se você for ao Terreirão, na altura da Gilka Machado, entre pela rua dos Arquitetos e encontrara um abate de aves tradicional, escolhe a sua galinha velha e leva pra panela. Sem hormônios e comendo uma ração orgânica. No caso eu usei as coxas e sobrecoxas, marinei com vinho tinto, molho inglês, uma colher de molho de tomate, uma colher de mostarda de Dijon, mel, cebola roxa, pimenta do reino sal. Leve ao refrigerador por 1 hora, e esquente o forno a 230 graus. Ja tinha cozinhado batatas pequenas e aipim, mais conhecido como mandioca, prontos pra levar ao forno com os dentes de alho cozido: cortar as batatas e aipim em cubos, colocar tudo numa assadeira, os 4 dentes de alho, capriche no azeite, sal, pimenta do reino, alecrim e tomilho. Coloque o frango com a marinada numa assadeira coberta com papel de assar, adicione umas vagens, pode usar qualquer verde, brócolos, etc, e leve ao forno por aproximadamente uma hora.
Frango caipira com Syrah israeli
Ah, os Syrah minerais das Terras de Israel, na minha opinião são dos melhores que ja tomei…O vinho EMMAUS, produzido pela Judith Ofir, com 90% de uvas da região semi-árida de Mitzpe Ramon, e 10% de Safsufa no Galil. Esta sendo produzido artesanalmente, em Nachshon na vinícola e escola de viticultura. Totalmente organics, colheita manual, etc…Essa ideia de produzir a partir de cepas de Syrah de 2 origens e altitudes diferentes da mesma uva. Esse tipo de corte da mesma uva, funciona muito bem. Jovem e intenso esse Syrah seria ideal para tomar todos os dias. Delicia!! Parabéns para a Jud e Moshe, pela iniciativa e bom gosto.

Tilápia ao forno com aipim e legumes, e um bom tinto francês.

Tilápia ao forno
Saber comprar alimentos frescos, orgánicos, peixes, e ainda encontrar vinhos acessíveis tem sido uma das minhas metas nos últimos tempos. Felizmente, meu instinto de avido consumidor me leva ao mercado certo. Passo rapidamente na prateleira dos legumes e encaro meu amigo o peixeiro, super ocupado com as perguntas dos clientes cariocas. Vejo uma tilápia gordinha na vitrine, resolvi leva-la. O aipim ja vem no vacuo, so cozinhar. O vinho estava na promoção e levei um francês bem diferente: do Cotes du Tharn, um corte de uvas bem interessante. Confira a oferta aqui: http://www.zonasulvinhos.com.br/Produto/Vinho_Tinto_Frances_Les_Granitiers_Garrafa__750_mL_2015_–84936–1763

E em alguns minutos tenho os ingredientes para uma refeicao leve e cheia de vitaminas, sem muita gordura e com sabor da terra. Mineral, vegetal, e frutas.

Ingredientes para dois:

Uma tilapia gordinha, ou duas, limpas. Cebola, alho, beterraba, vagem, aipim, limao siciliano, alecrim, sal e pimenta da reino, manjericão, azeite de oliva e pimenta do reino.

Preparo:

cozinhe o aipim ate amolecer, corte os legumes e cozinhe no vapor, tempere o peixe com sal e pimenta, fazendo uns cortes no dorso, coloque tudo na assadeira e cubra com azeite e manjericao, alecrim, enfeite com a cebola e limao. Forno a 255 graus por 40 minutos. Bon Apetit.

 

Truta dourada com batatas e shitake, com vinho mineiro Casa Geraldo Shiraz 2014

Casa Geraldo Shiraz 2014

Os vinhos da Casa Geraldo nos surpreenderam. Esse Shiraz 2014 foi premiado em competição internacional, e quando abri a garrafa no friozinho da Serra da Mantiqueira, em pleno verão, reconheci o mineral do terreno dessa regiao, também presente na fazenda onde sao criadas essas trutas brancas. Calcareo, ouro, metais nobres, tudo de bom!!
Ai pensei: a truta vai combinar muito com esse vinho! Dito e feito.

Criei uma receita meio israelense com um toque de curcuma. Com pimenta calabresa, paprica, tomilho, louro, alho e cebola nao esquecer o gengibre.
Truta dourada. Para tudo!! Essa truta criada nas cabeceiras da Serra da Mantiqueira, é o máximo. Carne branca, saborosa, cheia de colageno, mas muito mais suave que a Arco-Iris que conhecemos. Da pra fazer um bom guefieltefish ou pra comer tudo e usar os osso para engrossar o caldo.

Truta para dois:

Uma truta gordinha, seis batatas pequenas, shiitakes frescos, 1/2 cebola, 3 dentes de alho, um pedacinho de gengibre, meio ramo de salsinha, uma cebolinha, tomilho, azeite , sal, curcuma, cominho em po,  pimenta calabresa e do reino. Meio tablete de caldo de legumes ou caldo de legumes fresco. Vinagre de sua preferência .

Preparo: Refogue o gengibre, alho e cebola no azeite, quando dourar adicione os shitake fatiados, uma colher  de  vinagre e deixe caramelizar o shitake, pode colocar os temperos como tomilho, meio ramo de salsinha, uma cebolinha, tomilho, azeite , sal, curcuma, cominho em po,  pimenta calabresa e do reino. Meio tablete de caldo de legumes, ou caldo de legumes fresco e cubra agua, entao adicione as batatas e cubra com mais agua fervendo, deixe cozinhar por uns quinze minutos em fogo baixo tampado, nesse meio tempo prepare a truta, cortando em postas. Adicione a truta ao caldo e deixe cozinhar por mais uns 20 minutos, retire a truta e as batatas e reduza o caldo. Bom Apetite !!